CONTACTS & INFORMATION

T +351 919 058 885

E mostra@mostra-online.com

more info »

NEWSLETTER

  • Grey LinkedIn Icon
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon
  • Grey Twitter Icon

MOSTRA @ 2017  |  Terms  |  Privacy  |  FAQ - Support

Marco Moreira

Marco Moreira (1978) é licenciado em Pintura pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa (2009-2013). Foi bolseiro do programa Erasmus na Facultad de Bellas Artes de la Universidad Complutense de Madrid (2009-2010) e é mestre em Pintura pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa (2014-2015). 

 

Das exposições individuais e colectivas em que já participou, podem referir-se, a título de exemplo, Girando em torno dos mesmos eixos vezes sem fim (2015) no Módulo — Centro Difusor de Arte, Lisboa; Entre o Sul e o Oeste — Arte Portuguesa de Hoje (2015) no Centro de Arte Contemporânea de Málaga, Espanha (Imago Mundi 2015, Colecção Luciano Benetton); Viagem ao Princípio do Mundo (2015) na Bienal da Maia, Maia.

No projecto de trabalho que venho a desenvolver, parto sobretudo de uma reflexão sobre a prática do desenho onde procuro explorar os seus limites e as suas fronteiras. Existindo entre o bidimensional e o tridimensional, estabelecendo uma relação entre representação e real, como também uma relação entre artista, obra e fruídor (público), relação esta que defina e permita reflectir sobre a condição da inscrição do lugar. 

 

Desta forma, recontextualizando objectos e ideias com a finalidade de materializar processos criativos, lido por consequência com conceitos como intuição, intelecção, tempo e espaço. 

 

Recorrendo assim a um trabalho sintético, mas ao mesmo tempo envolvente, pretendo que a obra tenha a sua existência numa dimensão poética. 

 

Em alguns dos meus trabalhos faço uso de simples objectos de uso quotidiano por vezes ferramentas e instrumentos que altero e manipulo, procurando lidar com o que chamo de síntese mecânica, acentuando a condição da ferramenta inerente aos objectos utilizados. Condição esta que permite a mim e a qualquer visitante experiência a obra tanto táctil, como visualmente, activando-a através da acção de desenhar.

 

Marco Moreira