CONTACTS & INFORMATION

T +351 919 058 885

E mostra@mostra-online.com

more info »

NEWSLETTER

  • Grey LinkedIn Icon
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon
  • Grey Twitter Icon

MOSTRA @ 2017  |  Terms  |  Privacy  |  FAQ - Support

Inês Norton de Matos

Nasceu em Lisboa em 1982. Vive e trabalha em Lisboa. 

Licenciada em Design de Comunicação pelo IADE, termina o último ano do curso na Universidade Pontífice Católica - PUC,do Rio de Janeiro no âmbito de um programa de intercâmbio (2005). Após a licenciatura, trabalha como designer de comunicação em Lisboa. Frequenta dois anos do curso de pintura no Ar.Co e realiza o Foundation na Slade School of Fine Arts, em Londres (2008-09).Entre 2010 e 2012, viveu na cidade de Luanda, Angola, onde leccionou expressão plástica no âmbito de um projeto de Apoio ao Desenvolvimento (ADPP), tendo participado na Trienal de Luanda – Geografias Emocionais, Arte e Afetos (2010). Em 2012 concluiu o programa de Estudos Independente na Maumaus, em Lisboa. 

Expõe regularmente o seu trabalho e este está representado por várias coleções a nível nacional e internacional. 

Exposições individuais (Seleção) 

2014 | Centro Cultural Português, Luanda | Exposições coletivas (Seleção) 2010 | Trienal de Luanda, Luanda 2013 | Bienal de São Tomé e Principe

2013 | London Factory Art, Londres 2014 | Convent St.Agosti, Barcelona 2014 | Art Copenhague Forum, Copenhague 2015 | Miguel Justino, Contemporary Gallery, Lisboa 2016 | Centro de Arte Contemporânea, Málaga 2017 | XIX Bienal de Cerveira, Cerveira | Le Consulat, Lisboa | (upcoming) CAAA, Guimarães 

 

Colecções (Seleção) 

Sindika Dokolo, private collection | Angola • CAC | Málaga • Luciano Benetton Collection  • Atlantic Private Bank | Angola  • Instituto Camões, Angola 

 

Prémios

Artista revelação, XIX Bienal de Cerveira 

 

 Crio, acreditando que a arte é o caminho menos obstruído para a experienciação e que toca naquele milésimo de segundo anterior ao impulso de criar barreiras e encontrar conceitos, a que chamo verdade. 

"[...] a obra é irredutível a uma simples coisa explicável pela ligação matéria-forma, porque ela tem esta capacidade de exibir uma verdade. Mas a verdade que a obra mostra não é uma verdade abstrata, um horizonte geral. É uma verdade situada no tempo e no espaço, que é, a cada instante, a de um mundo e uma terra determinados " 

(Michel Haar na interpretação das reflexões de Heidegger em - A origem da obra de arte) 

 

Inês Norton de Matos