CONTACTS & INFORMATION

T +351 919 058 885

E mostra@mostra-online.com

more info »

NEWSLETTER

  • Grey LinkedIn Icon
  • Grey Facebook Icon
  • Grey Instagram Icon
  • Grey Twitter Icon

MOSTRA @ 2017  |  Terms  |  Privacy  |  FAQ - Support

Andreia Alves de Oliveira

Andreia Alves de Oliveira é fotógrafa e investigadora, vive e trabalha em Londres. Licenciada em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade do Porto em 2002, tendo concluído o seu doutoramento em Fotografia na Universidade de Westminster, em Londres (bolsa de estudos CREAM; supervisor: Professor David Bate). Realizou também cursos de fotografia, no Internacional Centre of Photography, em Nova Iorque, e na Fundação Calouste Gulbenkian. 

 

A artista explora assuntos relacionados com a vida contemporânea na sociedade ocidental. O objectivo é investigar, através da fotografia, a realidade em que estamos inseridos, aquilo que torna a vida aqui, agora, aquilo que ela é.

A minha prática explora assuntos relacionados com a vida contemporânea na sociedade ocidental. O objetivo é investigar, através da fotografia, a realidade em que estamos inseridos, aquilo que torna a vida, aqui, agora, aquilo que ela é. 

 

Quem somos? O que nos está a acontecer neste momento, e porquê? Simultaneamente, a minha prática e a minha investigação questionam quais são as condições de possibilidade do conhecimento com base na imagem fotográfica e, em geral, na visão. Como pode a fotografia dar a conhecer o mundo, e qual é o valor desse conhecimento? 

 

O projecto Politics of the Office (2010-2014) é sobre o escritório enquanto espaço, procurando examinar como este é usado para influenciar a maneira como as pessoas trabalham, para as tornar produtivas. As fotografias mostram os escritórios de instituições financeiras, legais e corporativas localizadas nas zonas de negócios da City e em Canary Wharf, Londres, oferecendo uma oportunidade rara de testemunhar imagens de espaços que, quer pelas atividades lá desenvolvidas, que pelos edifícios imponentes que ocupam, estão extremamente presentes na sociedade, mas são fundamentalmente invisíveis para o público em geral. 

 

Na sua abordagem neutra e escala reduzida, as fotografias questionam a representação comum destes espaços, veiculada através de fotografias comerciais que espectacularizam e imagens que, em geral, reforçam a ideia de poder associada às instituições que eles materializam.

 

Andreia Alves de Oliveira